AS VINTE CHAVES MÁGICAS E OS VINTE NÍVEIS - O Vigésimo Nível um livro, uma jornada interna, em busca daquilo que você não se deixa ver. É a descoberta, no reencontro do meu melhor como indivíduo. Clique para ler os livros. No rodapé do Blog.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

O Poder da Intenção e a Consciência boa ou má

Gerar uma intenção objetivando uma cura, um desejo expresso por uma necessidade, é um ato descrito em várias técnicas, umas mais fáceis e compreensíveis, outras nem tanto.

O Poder da Intenção é a metodologia que faz vibrar nossos átomos originando infinitos saltos quânticos em nossa matéria, e neste “salto” no pacote de energia é que depositaremos, e implantaremos estes desejos e enviando-os para nós mesmos, guardando em algum lugar para uso posterior, ou tele transportando para outros indivíduos e locais remotos, independente da distância.

Já disse que quem leu o livro e assistiu aos meus vídeos e aos vídeos de pesquisadores sabe que isto É ciência também. É a união do espiritual com o material, que de fato não pode estar separado, exatamente por que nunca esteve. Nosso corpo é o maior exemplo desta união.

Então, gerar uma boa intenção, aquela que dá vida a energias estáveis e que vão trabalhar por nós e conosco, e que pode ser enviada a um destino predeterminado, ou seja, dar gênese com boas energias e que provoca resultados positivos, só é possível com a presença da CONSCIÊNCIA, pois é ela que mantém o controle em Seres mais evoluídos.

É a consciência que nos dá a faculdade de possuirmos a razão necessária para julgarmos nossos próprios atos.

É a consciência que faz com que admitamos no momento de qualquer ato o que entendemos por certo ou errado do ponto de vista moral.

A moral, assim entendida, além de modificar-se ao longo do tempo,  ainda diz respeito à individualidade em cada um de nós, ou seja: - cada pessoa sobre a face da Terra possui sua moral com base em valores sociais que são diferentes no tempo, no espaço e localmente. É oriunda das características fenotípicas (o resultado da influência de fatores ambientais em nossa carga genética).

É a moral que dá sustentação à consciência e que por sua vez nos permite gerar mais e mais energias importantes em nossas vidas.

A moral é relativa: - quero dizer, o que é moral para mim pode ser amoral para você. Nem eu estou certo ou errado e nem você está certo ou errado.

O Ser com CONSCIÊNCIA possui um quesito comum: - Sinceridade que lhe pode causar remorso, ou extrema má-fé.

É o que chamamos de “boa fé”; “bom sujeito”; ou “má-fé”; “injusto”;“ ilegal”; o ser consciente de si, e do meio em que vive, tem todo o “germe” de integridade, ou corrupção (depende dos valores morais) por que admite a “moral depositada no inconsciente coletivo” que pode leva-lo a ser uma coisa ou outra quando absorver dela, o bem ou o mal.

É o que chamamos de “formador de opinião” benéfico ou maléfico; Geralmente é um ser cuidadoso, atencioso e esmerado. Tanto para atingir o bem, quanto para o mal a “roupagem” é a mesma para persuadir.

Do ponto de vista cientifico, é o “estado do sistema nervoso central que permite pensar, observar e interagir com o mundo exterior.”, e dele retirar suas energias morais para construir seu caráter e se aproveitar de outros seres humanos.

E o que isto importa num procedimento de depositarmos nossas intenções no salto quântico através do Poder da Intenção?

A Consciência nos torna seres humanos, bons ou maus. Portanto nossas intenções serão boas e do BEM ou maléficas e do MAL.

Insetos como por exemplo, as formigas não podem produzir por livre e espontânea vontade, saltos quânticos, não obstante em seu sistema corpóreo ocorram fenômenos quânticos, como de resto em toda a natureza, sem intervenção direta.

Formigas não produzem nem bem, nem mal. Produzem sua sociedade e vivem.

Em nós também. Todos os processos fisiológicos de absorção de alimento, por exemplo, geram infinitos saltos quânticos nas ações metabólicas de oxirredução para aproveitamento destes nutrimentos em nossos corpos.  

O que nos diferencia de, digamos insetos, é que temos consciência. Boa ou má.

A consciência atrelada a moral nos diz o que estamos pensando e o que estamos fazendo, e por que fazemos.

Se, por exemplo, estamos com fome, estamos conscientes disso. E assim vou preparar algo para comer.

Então podemos intencionar e fazermos um sanduíche, ou sairmos para alimentar-nos. Ou podemos roubar um sanduíche de alguém ou assaltar um supermercado.

Então para produzirmos o salto quântico no poder da intenção precisamos ter consciência. Independente de BOM ou MAU. Explicaremos ao final.

Isto é uma conclusão legal e cientifica.

A nossa consciência provém um contexto, geralmente do meio social onde estamos inseridos e que nos produza algum significado, para tomarmos nossas ações.

Por exemplo, o prazer produz significado. O amor produz significado; o sexo, que é prazer, produz significado; o dinheiro produz significado; enfim, o ser humano é motivado por tudo que lhe produza significado prazeroso.

Por isto a mídia é voltada para atrair-nos neste quesito de prazer.

Ainda como exemplo? - se fazer sexo causasse dor, não seriamos sete bilhões de seres humanos. Não seríamos nem mais do que um.

Um procedimento no Poder da Intenção, precisa ter um potente significado para você. Precisa ser "algo" verdadeiro em sua mente e corpo.

Bem, se esta parte da em nós não existe, a consciência, então, basicamente, funcionamos de forma parecida com um inseto, onde apenas responderemos, assim como as formigas, instintivamente sem pensar no que os nossos atos significam e o que eles expressarão aos eventos posteriores em nossas vidas e nas vidas dos outros. A má consciência atua desta forma. Pensa apenas em si e em suas vantagens, usa os outros e posteriormente os despreza.

A cada atitude nossa, um novo evento se produz em nossas vidas. Do mais simples ato como escovar os dentes ou lavar as mãos, uma discussão, um encontro, enfim, produzirão no infinito novos eventos e novas formas genéricas de energia. E a consciência vem junto neste procedimento seja boa ou má.

É a consciência que fornece um significado, um sentido para uma ação no poder da intenção. A intenção precisa ser prazerosa, mas antes a consciência necessita ser do BEM.

Temos uma íntima relação com nossa consciência quando dormimos, ou quando estamos assoberbados de energias espúrias, aquelas formas pensamento sem consciência, mas mortas de fome. Vamos dizer, "nossa" consciência, mas a consciência somos nós mesmos. Apenas para efeito de entendimento. Então, "nossa consciência" está mais livre para trabalhar melhor nossas emoções e em acordo com nosso grau de entendimento da realidade que estamos, ou aqui, ou no plano mais imaterial, é nossa consciência quem nos guiará, com a intenção que pudermos produzir, para evitar as energias espúrias e negativas, e as formas vivas de baixa consciência evolutiva, e que com fome de aprender e crescer, podem se alimentar de você, aqui, ou em qualquer outro plano existencial; quando dormimos estamos em outras vivências; e elas são reais, porque são "energia". Então por isto precisamos "nutrir" "nossa consciência" (que somos nós) com frequências de vibração de amor conectadas ao plano Divino. Uma boa e poderosa intenção de amor que tenha um significado importante para você, para alguém que você ama e quer bem, muito bem, ou para qualquer outra situação que você deseja ver restabelecida. Isto é o Poder da Intenção num poderoso desejo com um imenso significado produzido pelo seu melhor amor.

Assim, sem consciência não há como provar nem provocar a intenção, por que não se produz PRAZER, muito menos SIGNIFICADO. Não se acredita que se possa, pois nestas condições, não se reconhece a presença do AMOR Divino para gerar a Intenção, não há o PODER do amor Divino. 

E os exemplos estão aí mesmo. Grande parte da humanidade dorme, e segue seus atos intencionais como formigas, gerindo suas vidas pelo inconsciente coletivo absorvendo por ignorância sua pior parte, a insanidade; alienados como se estivessem sós no Planeta, seguindo a maré das massas pretendem ser mais e melhores com toda a impostura que a falsa ideologia criada pela consciência espúria e má permitir, em velocidade máxima, destruindo, arrebatando, e desmoronando a vida de pessoas, as suas próprias e a de cidades e nações.

Não deixe de pensar e avaliar se suas obras são benéficas apenas para você, mas para todos. Não espere a hora do seu autojulgamento para descobrir que você poderia ter sido do bem. Será tarde. 

Pense sempre nos outros, no outro lado quando tomar uma atitude e em quanto isto poderá ser benéfico, mas principalmente se poderá maléfico e destruidor. Para isto, ajude se solicitado e for convocado, e coloque-se na posição do outro para sentir o que ele sente com seus atos ou como ele está se sentindo. 

Não sofra por ele, por que não é seu direito. Não é legítimo. Mas como eu disse, ajude-o com um enorme poder de intenção, se ouvir o grito de socorro. 

Apenas entenda que (e aceite se quiser) que ajudar o outro sem a intenção deste outro, é interferir num processo de evolução e nós não temos este direito.

No entanto, preste atenção: - O Poder da Intenção pode ser o Poder da Consciência boa ou má. Tanto o bem quanto o mal; Deste modo, nunca esqueça, que tudo o que você vê no outro, tudo o que você envia para o outro, tudo o que você sente pelo outro, bem ou mal, tudo o que intencionar para o outro, É POR QUE JÁ ESTÁ DENTRO DE VOCÊ. 

Um abraço meu,
Jaime.




O Vigésimo Nível - Clique para ler

Uma Amor Para Lembrar - Clique para ler

O Poder da Intenção - clique para ler

O Vigésimo Nível no BUSCAPÉ

Compare e compre: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Saraiva

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Cultura

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui