AS VINTE CHAVES MÁGICAS E OS VINTE NÍVEIS - O Vigésimo Nível um livro, uma jornada interna, em busca daquilo que você não se deixa ver. É a descoberta, no reencontro do meu melhor como indivíduo. Clique para ler os livros. No rodapé do Blog.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Um “cara” que amou o Brasil e os brasileiros.


Hoje faz vinte anos que Airton Senna deixou as pistas, o amor dos seus pais, o amor pelo que fazia e o amor recíproco dos brasileiros.

Eu vivi aquela época. Airton Senna existiu e ainda existe em algum lugar deste infinito Universo, algo que não nos cabe especular "onde" por que não temos suficiente conhecimento para tal.

Mas sabemos que ele ainda existe e também em nossas mentes e sabemos tudo o que ele fez.

Está em nossos corações esta "sapiência".

Então, eu nunca havia escrito nada sobre esse grande brasileiro, mas conversando com um filho hoje, soube que isto era algo que eu queria fazer. Não para homenagear Airton por que ele não buscava por glórias, mas para dizer para o pessoal jovem na faixa dos 20 anos, que sim, nós tivemos heróis não por serem exclusivamente fortes e capazes, mas por que eles de fato amavam seu País e seus irmãos brasileiros.

Airton era uma destas pessoas, que eu e meus filhos tivemos oportunidade de nos despedirmos dele naquele domingo, com as lágrimas que ele merecia pela saudade que iria deixar sob vários aspectos.  Fazia pouco também que eu havia perdido meu irmão, então foi uma enorme emoção.

Eu estudava e estava nos últimos anos da Faculdade de Agronomia.

Então como sempre logo nas primeiras voltas Airton já emocionava a todos os brasileiros. De norte a sul de leste a oeste, o País ficava em silêncio, absorto em cada curva, em cada acelerada nos “retões”, sempre esperando que o nosso Airton ultrapasse um, e depois outro e mais outro e mantivesse a pole até o final.

A paixão do brasileiro (e Airton sabia disto), logo ao vencer, era parar o carro e pegar uma bandeira do Brasil de um torcedor e dar mais uma volta segurando com garra aquele estandarte, símbolo representativo do nosso Estado soberano, da nossa Nação. Um orgulho para todos nós que admirávamos a forma honesta e talentosa como ele vencia em seu trabalho e em sua paixão: - a corrida.

Não há como descrever o que Airton Senna transmitia, quando ao final ele descia do carro, tirava o capacete e todos os membros da escuderia corriam ao encontro dele; logo a seguir ele subia ao pódio ainda com a Bandeira brasileira agarrada com as duas mãos.

Não foram poucas as vezes que ele levantou a taça de campeão e junto para cima, ia a nossa Bandeira,
como se dissesse: “-Esta é outra vitória nossa.”.

Era uma emoção atrás da outra. A formula 1 era uma paixão dos brasileiros.

Mas eu soube, como todos souberam que apesar de todo o talento dos outros pilotos brasileiros e até mesmo do carisma destes outros, eu mesmo disse naquele dia, quando nos abraçamos, eu e meus filhos, pequenos naquela época, que a “formula 1 nunca mais seria a mesma.” E de fato, infelizmente, ainda que pelo esforço destes outros brasileiros, não foi.

Lembro-me da voz do Galvão Bueno (1): “-Vão fazendo suas orações, o pessoal médico está atendendo o Airton.” Mas o que víamos era Airton, dormindo em seu outro berço esplêndido, a pista, começando seu descanso de uma vida de amor por tudo quanto viveu e conviveu. Ainda que Galvão Bueno assim como todos os milhões de brasileiros desejassem, infelizmente Airton não estava mais ali. Havia nos deixado e cumprido toda sua missão, como homem, filho e brasileiro.

Então foi assim que conversando hoje pelo chat que me motivou a lembrar um pouco do Airton e tentar trazer para você que não esteve presente naqueles tempos, para que não esqueça: - Airton existiu.

Meus filhos, assim como eu adorávamos as  corridas de formula 1 e um deles hoje conversando comigo pelo “chat” preocupava-se e com razão e com a inteligência que é peculiar a ele (a todos eles) como e de que forma este legado estava vivo até hoje. Então eu disse o que pensava:

-Pois é, mas como ele conseguiu passar isso para todo mundo?

-Por que ele era bom uma boa pessoa; era verdadeira; sabia o que tinha que fazer e fez; ele unia o povo, em torno das vitórias dele; depois dele nunca mais houve outro.
-O Airton pensava no TODO e hoje aqueles que buscam o “estrelato” iniciam a carreira pensando exclusivamente neles. E alguns ainda acabam a carreira, ainda somente pensando neles. As pessoas sabem disto, elas não são ignorantes. A qualidade como ser humano do Airton vai passando de geração para geração; Airton é o tipo de pessoa que todo mundo gostaria de almoçar com ele no domingo... E todos ficavam unidos. Não é como alguns que só pensam neles, só falam estupidezes. O povo não é burro. O povo vê a diferença.

Airton está vivo em nossas memórias e sua vida deve sim ser aprendida em toda sua plenitude.

Deveria ser lido, examinado e debatido nas Escolas, para que sirva de exemplo aos jovens e que possam adquirir os valores que permita a esta juventude diferenciar ainda mais e melhor aqueles que têm algum poder e poderiam melhorar o estado geral das “coisas”, mas amam a si antes de amarem os brasileiros.

É assim que eu posso agradecer a você Airton Senna por todo este ensinamento, e é claro, por poder apreciar o teu maior talento: - O grande “sujeito” que você foi e continua sendo. O “cara” que de fato amou o Brasil e os brasileiros.

E lógico, por todas tuas apaixonadas vitórias na Fórmula 1, que nos fazia “saltar” do sofá e gritar: “-AIRTON SENNA DO BRASIL!”

  
Grato Senna. Mesmo. De verdade.
Um brasileiro.



Créditos da imagem: - na própria montagem.

(1) Carlos Eduardo dos Santos Galvão Bueno, mais conhecido como Galvão Bueno (Rio de Janeiro, 21 de julho de 1950), é um narrador, radialista e apresentador esportivo brasileiro. Atualmente, Galvão trabalha para a Rede Globo. Ele é muito conhecido por narrar para brasileiros momentos relevantes do esporte nacional, como o tetracampeonato e o pentacampeonato mundial da Seleção Brasileira de Futebol, os títulos mundiais de Fórmula 1 e o acidente fatal do piloto brasileiro Ayrton Senna, além de vários Jogos Olímpicos da era moderna. Wikipedia.

O Vigésimo Nível - Clique para ler

Uma Amor Para Lembrar - Clique para ler

O Poder da Intenção - clique para ler

O Vigésimo Nível no BUSCAPÉ

Compare e compre: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Saraiva

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Cultura

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui