AS VINTE CHAVES MÁGICAS E OS VINTE NÍVEIS - O Vigésimo Nível um livro, uma jornada interna, em busca daquilo que você não se deixa ver. É a descoberta, no reencontro do meu melhor como indivíduo. Clique para ler os livros. No rodapé do Blog.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O EFEITO PLACEBO DA CRENÇA


Quando você crê em algo, é por que não descrê naquilo sob hipótese alguma, concorda? Quando você crê em algo, seja o que for aquilo faz parte da sua vida, e de certa forma nem sabe como ou quando começou a interagir com aquela crença. Começar a acreditar em algo, é rápido e fácil: - basta que seus pais creiam em alguma coisa e você seja uma criança, e é preciso também supor que aquele “algo” é benéfico à família, e que outras pessoas, também se beneficiam, pois ninguém acredita em algo que não é bom ou legal para sua vida, não é mesmo?

Algumas crenças, então, são boas e outras não. Mas daí vem outro princípio, que é aquele que diz que o que é bom para mim, pode não ser bom para você. É quando começa o embate. Eu sou a verdade, diz a sua crença, e a minha verdade é maior que a sua; é o tal fundamentalismo. E não confunda fundamentalismo com alguma religião, pois isto também é uma crença; crer que fundamentalismo é propriedade e conceito de alguma religião é um pensamento errôneo. Quando você impõe qualquer coisa, a qualquer pessoa, além de pretensioso, é fundamentalista; seja no trabalho, em casa, na rua, no trânsito! Nossa! Quantos fundamentalistas têm no trânsito?

Acreditar em algo é de fato, uma forma de proteção. Uma proteção é um abrigo que buscamos que nós mesmos não conseguimos criar, e acabamos por ir buscá-lo em algum lugar: - na espiritualidade, na medicina, no convívio social, no trabalho, na profissão, enfim, seja onde for, em tudo há crença.

E vivemos anos, ou quase todos os anos das nossas vidas, acreditando e crendo, que aquilo que está em nós, é a verdade; não estamos errados, é bom ter uma crença.

A conseqüência do efeito placebo da crença só é ruim quando resulta no efeito colateral menos desejado: - a imposição, que é nada mais nada menos que uma “ordem“ a que se tem de obedecer.

Nada precisa ser tão grande, para que seja acreditado. Pode ser qualquer coisa, e já cremos. No entanto, para descrermos de algo, leva muito tempo. Nós precisamos EXPERIMENTAR a descrença, por MUITO TEMPO, para crer nela, do que PROVAR por poucos instantes qualquer crença, para acreditarmos nela, principalmente, quando começamos quando crianças, e nossa mente está “limpa”.

O efeito colateral menos indesejado da crença, é seu efeito PLACEBO, assim como num teste de laboratório, quando um medicamento é tomado entre dois grupos, pelo menos: - o que toma o medicamento com o princípio ativo e o que ingere a pílula de farinha com açúcar. Um placebo, assim como uma crença pode ser uma substância inerte, que se “traveste” de uma almejada proteção que não conseguimos, por que estamos “desencaixados”.

Uma cirurgia ou terapia de mentira, usada como controle em uma experiência, ou dada a um paciente pelo seu possível ou provável efeito benéfico, é também um placebo. Às vezes funciona. Na grande maioria das vezes, não.

Uma crença que não é EXPERIMENTADA é um placebo, e nos remete a idéia da blasfêmia: - coisa intocável, inadmissível de ser discutida. Será que temos coragem de testar nossas crenças? Estamos tomando o medicamento verdadeiro? Não me pergunte, eu não sei a resposta, mas que estamos cheios de efeitos colaterais, ah, isto estamos.

domingo, 14 de novembro de 2010

A "Crença e Hábitos = Resultados" Fórmula


1 - O que você NÃO está fazendo?

2 - Fazer as mudanças internas que você deve fazer se você deseja que os resultados externos mudem - Fazer o que precisa ser feito, seja o que for.

3 - Fazer isto usando um processo chamado recondicionamento neural.

4 - Se Você está interessado em ser um Milionário, você faz o que é conveniente, mas...

5 - Se você está comprometido a tornar-se um milionário, você vai fazer o que for preciso.

6 - Liberte-se: de pensamentos limitantes, comportamento limitantes, procrastinação, que...

7 - não é uma questão de conhecimento, é uma questão de fazer as coisas certas na ordem certa. Para isto, mudança de hábitos, crenças.

John Assaraf

O Vigésimo Nível - Clique para ler

Uma Amor Para Lembrar - Clique para ler

O Poder da Intenção - clique para ler

O Vigésimo Nível no BUSCAPÉ

Compare e compre: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Saraiva

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui

O Vigésimo Nível na Livraria Cultura

Compre direto na Livraria Saraiva: Clique aqui